quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fidel confirma que Cuba vai pedir pela 20ª vez o fim do bloqueio na ONU

O líder Fidel Castro afirmou na terça-feira, dia 25, que mais uma vez será levada à ONU a proposta que pede o fim do bloqueio estadunidense contra Cuba.

Via Blog La Militancia Roja, com informações Central contra o Terrorismo Midiático

Incrível, mas será o 20º ano consecutivo do pedido e infelizmente como já é sabido, pela 20ª vez de nada vai adiantar, porque os ianques que se sentem mesmo os “donos do mundo” não vão acatar qualquer tipo de resolução a este respeito.

Mesmo assim Cuba fará o pedido, tentando dizer a necessidade de colocar fim ao bloqueio mantido pelos Estados Unidos contra a Ilha e a reivindicação será feita pelo chanceler Bruno Rodriguez Parrilla. Ele vai apresentar um extenso relatório, que mostra detalhadamente todos os danos sofridos por Cuba neste quase meio século, em função da atitude covarde, cruel e destemperada dos estadunidenses. Para se ter uma ideia, num cálculo superficial, o prejuízo cubano está na casa dos US$975 bilhões.

O texto a ser apresentado, conforme Fidel Castro disse em entrevista, sustenta ainda que as medidas estadunidenses não só persistem, como se intensificam apesar do crescente apoio que a comunidade internacional tem dado a Cuba.

No ano passado e no mesmo plenário da ONU, 187 países voltaram condenando a medida ianque e os únicos votos negativos foram os dos Estados Unidos e Israel. Na oportunidade, as únicas abstenções partiram das Ilhas Marshall, Micronésia e Palau.

É importante lembrar ainda que há um mês a presidenta Dilma Rousseff se tornava a primeira mulher a abrir os trabalhos da Assembleia Geral da ONU e com ela meia centena de governantes do todo o mundo pediu no palco das Organizações das Nações Unidas o reconhecimento do Estado da Palestina e o fim do bloqueio de Washington contra Cuba.

Na ocasião, o ministro cubano de Relações Exteriores Bruno Rodriguez denunciou a intensificação do bloqueio e as tentativas de subverter a ordem constitucional e, ao mesmo tempo, reiterou a disposição e o interesse do governo de Cuba em avançar para a normalização de relações com os Estados Unidos.

Esta será a terceira condenação da ONU desde a chegada do atual presidente, Barack Obama, aquele eleito como Nobel da Paz... Pobre paz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário