segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Cinco heróis cubanos: Músicos gaúchos gravam CD com poemas de Toni Guerrero

Vânia M. Barbosa

Na quinta-feira, dia 22, os músicos e compositores gaúchos Pedro Munhoz, Zé Martins e Dão Real iniciaram a gravação do CD com poemas de Antônio Guerrero, um dos Cinco cubanos presos ilegalmente nos EUA desde setembro de 1998, ao monitorar ações terroristas de anticastristas que utilizam o território da Flórida para planificar e executar atividades contra a Ilha.

Entre vários poemas de Toni, 15 se tornaram canções para compor o CD: Pedro Munhoz interpreta “Décimas”, “A que comparar tu voz”, “Eco”; “Que harian los poetas” e “Palabras de enamorado”; Dão Real “Cuestion de tiempo”, “El compás de un verso”, “Vana ilusión”, “Una esperanza más” e “Palomas” e Zé Martins “Soneto”, “Amor verdadero” e “La amada tan solo un dia”. O músico Raul Ellwanger também participa com o poema já gravado “Sin amor casi nada”.

Segundo Munhoz, os poemas foram enviados por Toni ao compositor cubano Vicente Feliú que os repassou aos músicos. Pedro ressalta o pedido enviado a Feliú para que a capa do CD seja um desenho do próprio Guerrero, além da apresentação da obra.

A gravação está sendo feita nos Estúdios Camargo, no município de São Leopoldo, e o lançamento ocorrerá na 7ª Convenção Estadual de Solidariedade a Cuba, promovida pela Associação Cultural José Martí do Rio Grande do Sul, no início de maio de 2012, em Porto Alegre. Outro lançamento está previsto para Salvador (BA), na 20ª Convenção Nacional de Solidariedade a Cuba, que acontecerá de 24 a 26 de maio.

Com a participação de músicos que compõem o “Canto de Todos” – Festival Latino-Americano e Caribenho criado pelo trovador cubano Vicente Feliú –, outros poemas de Guerrero já foram gravados na Argentina e lançados no CD “Canciones Confidenciales”.

A história dos Cinco antiterroristas cubanos Antônio Guerrero, Gerardo Hernandez, René Gonzalez, Ramon Labañino e Fernando Gonzalez é contada no livro Os últimos soldados da Guerra Fria – A história dos agentes secretos infiltrados por Cuba em organizações de extrema direita dos Estados Unidos, do escritor Fernando Morais, que se encontra entre as dez obras mais vendidas no Brasil.

O livro já é considerado um importante instrumento de denúncia sobre um caso de explícita violação jurídica e de direitos humanos, e revela os tentáculos de uma rede terrorista com sede na Flórida e ramificações na América Central, e que conta com o apoio tácito do governo estadunidense, de membros do Poder Legislativo e complacência do Judiciário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário