quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Com Raul, Dilma fala de Lula e Celac; com Fidel, “orgulho” e sigilo


André Barrocal, de Havana, via Carta Maior

Na reunião de 1h15 que teve com o líder cubano Raul Castro na terça-feira, dia 31, a presidenta Dilma Rousseff conversou sobre uma retribuição da visita, a saúde do antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva, e a criação da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), organismo político que exclui EUA e Canadá, além dos investimentos brasileiros na ilha.

Pelo lado brasileiro, a reunião foi testemunhada apenas pelo ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, e pelo assessor para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia. O encontro foi parcialmente relatado aos jornalistas por assessores governamentais que tiveram acesso aos participantes do encontro.

Mais tarde, depois de almoçar, Dilma encontrou-se com o outro Castro da família, o mais velho e famoso, Fidel, de 85 anos (Raul está com 80). Apesar de Fidel estar doente, as autoridades cubanas ainda têm muita preocupação com a segurança dele, de modo que o encontro foi restrito inclusive para assessores dos dois países.

Dilma foi à casa de Fidel acompanhada apenas de Patriota e Marco Aurélio. Nem mesmo o fotógrafo oficial da Presidência brasileira teve acesso ao encontro, cujo registro coube exclusivamente a uma equipe que trabalha para Fidel. Mais cedo, em entrevista à imprensa, Dilma disse que encontraria Fidel “com muito orgulho”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário