domingo, 5 de fevereiro de 2012

Comitê Internacional e organizações parceiras preparam ações para pedir liberdade dos Cinco

Natasha Pitts, via Adital

Neste mês de fevereiro não o dia 5 (pois é um domingo e a Casa Branca não funciona), mas o dia 6 será reservado para mobilizações globais pela liberdade dos Cinco cubanos. Assim como vem acontecendo todos os meses, o Comitê Internacional pela Liberdade dos Cinco chama a população a pressionar o presidente estadunidense Barack Obama a libertar imediatamente René Gonzalez, Gerardo Hernandez, Fernando Gonzalez, Ramon Labañino e Antônio Guerrero.

É possível entrar em contato com o presidente Obama por telefone (202-456-1111), por fax (202 456-2461), pelo correio (Presidente Barack Obama, The White House, 1600 Pennsylvania Avenue, NW Washington, DC 20500), por e-mail (president@whitehouse.gov) ou clicar neste link que leva ao site da Casa Branca.

De acordo com o Comitê Internacional, em janeiro, as manifestações se fizeram sentir com mais força que nunca. Os impactos foram sentidos por meio da grande quantidade de mensagens no Twitter e das ligações telefônicas, de dentro e fora dos Estados Unidos, para a Casa Branca. Neste mês, a intenção é que a ação seja ainda mais intensa.

Em janeiro, o comitê lançou a campanha “Obama, dá-me os cinco”’, em referência ao gesto de unir as mãos e pedir ao presidente que liberte os cubanos, presos injustamente há 13 anos. A campanha, que distribuiu centenas de folhetos e cartazes impressos e virtuais, recebeu o apoio de várias entidades e organizações. Entre elas o Instituto Internacional de Estudos Políticos Cinco Heróis (Venezuela), que imprimiu 10 mil cartazes para divulgar a campanha, o Sindicato de Trabalhadores Postais do Canadá e o Sindicato dos Rotativistas de Paris, que se comprometeram com a impressão de 50 mil folhetos em inglês e espanhol.

Além dessas ações também está prevista a distribuição de panfletos com a imagem dos cinco pelas ruas dos Estados Unidos, assim como a instalação de banners e fotografias gigante. As ações serão acompanhadas de conferências, apresentações de documentário, mesas de informação em locais públicos, entre outras atividades.

Também da Itália estão chegando os ecos da solidariedade. O Círculo de Roma da Associação Nacional de Amizade Itália-Cuba convocou sua população a participar de uma campanha em favor do retorno imediato dos cinco cubanos. Na madrugada do dia 4 para 5, a partir da meia-noite, na Piazza del Popolo, terá início uma atividade de panfletagem e conscientização junto a turistas e moradores locais.

Os constantes apelos ao presidente Barack Obama se devem ao fato de que não há mais como recorrer na justiça pedindo a liberdade e o retorno dos cinco a Cuba. Apenas uma decisão presidencial poderia dissolver as penas injustas que vão de 15 anos de reclusão até o cumprimento de duas cadeias perpétuas, como é o caso de Gerardo.

Atualmente, quatro dos cinco cubanos se encontram presos. Apenas René já cumpriu seu período na prisão, contudo, ainda assim, não pode retornar para seu país. René, que saiu da prisão em 7 de outubro de 2011, é obrigado a permanecer nos Estados Unidos por três anos sob liberdade supervisionada.

Em 1998, os cinco estavam em solo estadunidense monitorando organizações terroristas anticubanas com o objetivo de prevenir sobre prováveis ações criminosas contra seu país, quando foram presos acusados de espionagem e de atentar contra a segurança dos Estados Unidos.

Para mais informações acompanhe o site: www.thecuban5.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário