quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

EUA violam espaço de radiodifusão cubano

Via Efe

A Conferência Mundial de Radiocomunicações, que se celebra em Genebra até 17 de fevereiro, reafirmou que os Estados Unidos violam as normas às que estão sujeitos por “invadir o território cubano com frequências radioelétricas enviadas desde aeronaves”.

A conferência confirmou sem necessidade de votação uma conclusão adotada em sua edição anterior de 2007, na qual se estabeleceu que “toda estação de radiodifusão a bordo de uma aeronave que transmita exclusivamente a território de outro país sem seu consentimento não cumpre o regulamento de radiocomunicações”.

O diretor de regulações e normas do Ministério de Informática e de Comunicações de Cuba, Wilfredo Lopez, denunciou ante o fórum “o incremento das interferências”, e afirmou que as autoridades estadunidenses “estão usando frequências adicionais, apesar de que as mesmas estão inscritas no registro internacional de frequências para uso de estações de radiodifusão cubanas”.

Lopez assinalou que mais de 20 transmissores de radiodifusão de diferentes serviços sonoros e de televisão “transmitem mais de 2.000 horas semanais de programação anticubana, incluídas alocuções que convocam a atos terroristas”.

“Estas transmissões difundem uma programação desenhada para promover a desestabilização e a emigração ilegal com o fim de contribuir com seu objetivo de derrocar a um governo estrangeiro, legitimamente constituído e de fomentar uma crise artificial que sirva de pretexto a uma eventual agressão militar contra Cuba”, agregou Lopez.

A Conferência especificou além do mais, que apesar das numerosas solicitações da União Internacional de Telecomunicações (UIT), Washington não eliminou as interferências que suas transmissões causam aos serviços de radiodifusão cubanos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário