domingo, 11 de março de 2012

Cúpula das Américas: A crônica de uma exclusão anunciada


“Os Estados Unidos, com seu desprezo e arrogância, ofendem a dignidade da Pátria Grande de Bolívar, da Nossa América de Martí”, afirmou na quinta-feira, dia 8, o chanceler cubano Bruno Rodriguez (foto) ao referir-se à política de exclusão que o governo estadunidense impõe à participação da ilha caribenha na próxima Cúpula das Américas que será realizada em Cartagena em abril.

Um dia antes, em Havana, o presidente colombiano Juan Manuel Santos anunciou que Cuba não será convidada ao encontro interamericano por não ter conseguido um consenso.

“Não teve nenhuma surpresa. Foi a crônica de uma exclusão anunciada. Com um enorme desrespeito pela Colômbia, pela América Latina e Caribe, os porta-vozes estadunidenses desde o primeiro dia decretaram a exclusão”, sublinhou Rodriguez após agradecer os votos de Bogotá ara que esta situação não se repita.

A exclusão, qualificada como “inaceitável e injustificável”, é parte de “uma política de bloqueio econômico, político e midiático”, acrescentou o chanceler.

Reforçou a posição “unânime e firme” dos países membros da Aliança Bolivariana para os Povos de Nossa América (Alba) de exigir o fim do bloqueio dos Estados Unidos e da marginalização da Ilha de qualquer mecanismo onde a América Latina e o Caribe estejam presentes.

Fonte: AVN, tradução: Vermelho

Um comentário:

  1. Não seria a hora desse encontro ser boicotado? Pelos demais países que estão indignados com a exclusão de Cuba? Saiam pelo mundo à fora, peguntando as pessoas qual o maior estado terrorista do mundo? Alguém tem alguma dúvida quem vai ser apontado? E como é que esse estado terrorista tem a petulância de querer vetar um estado soberano?

    ResponderExcluir