sexta-feira, 30 de março de 2012

René Gonzalez, Cuba lhe recebe com muito orgulho

Via Periodistas Cubanos e recebido por correio eletrônico

Minutos depois do meio-dia de sexta-feira, dia 30, chegou a Cuba, em visita privada e familiar, o Herói da República de Cuba, René Gonzalez Sehwerert, um dos Cinco lutadores antiterroristas cubanos injustamente condenados a longas penas de privação de liberdade nas prisões dos EUA.

Como se sabe, depois de sofrer 13 anos de prisão injusta, René está sob um regime de liberdade condicional por três anos, durante o qual ele deve permanecer nos Estados Unidos, o que é uma pena adicional.

Em 24 de fevereiro, René apresentou, por intermédio de seu advogado, uma moção de emergência para o Tribunal do Distrito Sul da Flórida, onde ele pediu para visitar ao seu irmão gravemente doente em Cuba.

Quase um mês depois, em 19 de março, a juíza Joan Lenard, que trata do caso dos Cinco desde o início de seu julgamento, autorizou a viagem a Cuba de René por 15 dias, sob um conjunto de condições: obter todas as licenças necessárias para viajar a Cuba pelo governo dos Estados Unidos, a entrega de itinerário detalhado da viagem, sua localização em Cuba e informações de contato no país e manter contato sistemático com a justiça. Além disso, o juiz deixou claro que todas as condições de liberdade supervisionada de René permanecem inalteradas e deve retornar aos Estados Unidos dentro de duas semanas a partir da data da viagem.

A decisão de permitir a viagem de René corresponde plenamente com os termos de sua liberdade condicional, que permite viagens a Cuba, com a aprovação do oficial da justiça ou juiz.

Até mesmo o governo dos Estados Unidos, que se opôs a todos os pedidos apresentados por René para uma visita temporária a seu irmão, reconheceu que as condições de sua liberdade condicional permitem viagens a Cuba. Neste sentido, a partir do 7 de março, a promotoria argumentou que “os termos de liberdade condicional de René não impedem as viagens a Cuba durante esse período [...] para visitar sua esposa, os pais idosos ou seus irmãos”.

No recurso interposto pelo seu advogado, René disse que cumprirá os termos estabelecidos para a visita e voltar para os Estados Unidos. Apesar das condições, o povo cubano, com profundo respeito, lhe deseja boas-vindas e lutará até as últimas consequências para seu retorno definitivo a Cuba e também de seus quatro irmãos, que ainda se encontram presos nos Estados Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário