segunda-feira, 16 de abril de 2012

Fernando Morais dedica prêmio aos 5 antiterroristas cubanos

O escritor brasileiro Fernando Morais, autor do livro Os últimos soldados da Guerra Fria, dedicou no sábado, dia 14, para os Cinco cubanos, presos injustamente nos Estados Unidos e personagens centrais do livro, o Prêmio Brasília de Literatura na categoria de “Reportagem”.

Alejandro Gomez, via Prensa Livre

“Dedico este prêmio aos cinco cubanos presos nos EUA, que são os personagens do livro”, disse Morais ao receber o prêmio na cerimônia de abertura da 1ª Bienal Brasil de Livros e da Leitura, em Brasília, na Esplanada dos Ministérios.

Em declarações à Prensa Latina, Morais observou que este prêmio é uma honra especial, uma vez que recebe com o trabalho que narra o trabalho de Antônio Guerrero, Fernando Gonzalez, Ramon Labañino, René Gonzalez e Gerardo Hernandez, nos Estados Unidos, que consiste de alerta de Cuba a atos terroristas pelos grupos extremistas cubanos, com base na Flórida.

Ele também ressaltou que o reconhecimento irá permitir maior difusão no Brasil da injustiça cometida contra os Cinco, como são conhecidos em todo o mundo, e a necessidade de aumentar a pressão para sua liberação e voltar para Cuba.

Os últimos soldados da Guerra Fria é uma denuncia contra o processo judicial imposto contra o terrorismo, que foram presos injustamente faz quase 14 anos em os EUA por combater o terrorismo. Lançado em agosto de 2011, o livro de Morais passou várias semanas entre os mais vendidos na América do Sul, permitiu uma pequena quebra silêncio da mídia sobre esta nação e permitiu que os brasileiros tenham melhor conhecimento do caso.

Adriana Perez, esposa de Gerardo Hernández, e Aili Labañino, filha mais velha de Ramon, que estão em Brasília, e o embaixador de Cuba no Brasil, Carlos Zamora, felicitaram o escritor brasileiro pelo prêmio e pelo seu gesto em prol dos Cinco lutadores contra o terrorismo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário