terça-feira, 5 de junho de 2012

Professores cubanos concluem primeira fase do programa de alfabetização no Equador


O grupo de 55 docentes cubanos, que conduziu a aplicação no Equador do método de alfabetização “Sim, eu posso”, criado na Ilha, concluiu a primeira etapa deste programa.

Mais de 69 mil pessoas nas 13 das 24 províncias equatorianas aprenderam a ler e escrever com o auxílio de Cuba, como parte da estratégia para a Educação Básica de Jovens e Adultos, impulsionada pelo governo da Revolução Cidadã liderado pelo presidente Rafael Correa.

Jorge Rodriguez, embaixador de Cuba neste país sul-americano, transmitiu aos educadores um reconhecimento por terem contribuído neste empenho solidário de levar a luz aos equatorianos com o ensino das letras.

Rodriguez recordou os vínculos históricos e de irmandade existentes entre ambos os países e assinalou que esta tarefa da alfabetização demonstra uma vez mais que os povos unidos podem atingir metas importantes.

Maria Esther Lemus, coordenadora do programa “Sim, eu posso” no Equador, salientou a importância das contribuições metodológicos do programa cubano aos alfabetizadores de seu país que participam em dois projetos educativos de similar propósito, Dores Cacuango e Manuela Sáenz.

O Equador tem o propósito de reduzir a 2% o índice de analfabetos no território nacional, superior a 6%, como parte da estratégia governamental do Bom Viver, para o desenvolvimento humano de seus habitantes. A especialista Roxana Solorzano ressaltou que a avaliação parcial do programa cubano a partir de 12 instrumentos metodológicos mostrou o alto impacto deste processo.

Ela assegurou que os participantes demonstraram nas provas as suas habilidades na leitura, escrita e nas operações básicas em matemáticas, além de evidenciar superação em sua autoestima, mudanças de hábitos nutricionais e uma maior inserção social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário