sábado, 7 de julho de 2012

Cuba investe mais em política social do que países da América do Sul e União Europeia

Cuba gasta mais de 30% de seu PIB com política social.


Eis mais um dos “crimes do regime cubano”: Os gastos com a política social. Enquanto na América do Sul estes representam 10% do PIB e na União Europeia 25%, em Cuba supera os 30%. No orçamento de 2012, o governo cubano destina 17.347.800 pesos para a educação, saúde e necessidades sociais.

Mais de 800 milhões de pesos destinam-se a subsídios para pessoas com baixos rendimentos e 400 milhões de pesos para a proteção a pessoas em situação críticas, como os incapacitados por motivos físicos ou mentais, mães solitárias com filhos menores e aos que são colocados em posição disponível no processo de reordenamento laboral em curso.
No setor da saúde pública, uma das maiores fontes de ingresso de divisas – devido aos vários programas de cooperação internacional, que engloba mais de 40 mil profissionais, com cerca de 70 países –, o orçamento disponibiliza 9% do PIB para desenvolvimento de um sistema integrado desde a atenção primária.

Estes programas de proteção social permitem uma mais equitativa distribuição dos recursos e respectiva aplicação no desenvolvimento humano, como o estado de saúde e nutricional da população, esperança de vida, saneamento e água potável, conservação do meio ambiente, participação politica, educação, cultura, informação e maior relevo do papel da mulher na vida econômica e politica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário