segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Venezuela: Socialismo triunfa e enche América Latina de esperança

Multidão saúda vitória de Chavez no Palácio de Miraflores:
“Foi a vitória perfeita”, afirmou o comandante bolivariano.
Com 54,42% dos votos, o presidente Hugo Chavez Frias foi reeleito na Venezuela e governará o país no período de 2013 a 2019. Há 14 anos no poder, este será seu terceiro mandato. O candidato da oposição, Henrique Capriles, obteve 44,97% e ganhou em apenas quatro dos 24 estados que compõem a Venezuela. Em uma verdadeira festa cívica, 81% dos venezuelanos compareceram às urnas, mesmo o voto não sendo obrigatório no país.
 
Vanessa Silva e Leonardo Wexell Severo, de Caracas, via Vermelho
 
Apesar da expectativa de que o candidato da oposição pudesse não reconhecer o resultado revelado pelas urnas, Capriles admitiu sua derrota e rejeitou a ação de setores radicais. O candidato fez também um chamado para que “nosso povo não se sinta perdedor. Quem foi derrotado fui eu”, afirmou. E agradeceu aos mais de 6 milhões de venezuelanos que votaram nele.
 
Diante de dezenas de milhares de manifestantes que tomaram a frente e as imediações do Palácio de Miraflores na noite de domingo, dia 7, o presidente Hugo Chavez agradeceu aos mais de 8 milhões de venezuelanos que lhe garantiram um novo mandato.
 
Acompanhado pela família e por lideranças na sacada do prédio presidencial, o líder bolivariano agradeceu à multidão e ressaltou que o povo “votou pela revolução, pelo socialismo e pela grandeza da Venezuela”.
 
Independência e integração
Chavez fez questão de ressaltar que o primeiro e principal objetivo de seu novo mandato já foi alcançado, sendo “não outro que ter conservado o bem mais precioso que conquistamos depois de 500 anos de luta: a independência nacional”.
 
A expressiva vitória nas urnas, enfatizou o presidente, demonstra que “não haverá força imperialista, por mais forte que seja, que possa com o povo bolivariano. A Venezuela nunca mais voltará ao neoliberalismo, seguirá transitando para o socialismo bolivariano do século 21”. E reiterou que “hoje ganhou a América Latina”.
 
Imediatamente, milhares de vozes entoaram o grito “alerta, alerta que caminha a espada de Bolívar pela América Latina”, fazendo tremular bandeiras do Brasil, Cuba e Argentina, dentre outras, num colorido que expressava o espírito da integração solidária do continente.
 
Cordialidade
Em tom cordial, Capriles pediu que Chavez trabalhe por todos os venezuelanos e parabenizou o comandante por sua vitória. “O que o povo diz está dado e respeito sua palavra”. Por sua vez, o presidente também fez um “reconhecimento especial à oposição, que não fez planos desestabilizadores. Assim que se joga na democracia”, exclamou.
 
Vanessa Silva é jornalista, enviada especial do Vermelho a Caracas e integrante do ComunicaSul. Leonardo Wexell Severo é jornalista e integra em Caracas a equipe do ComunicaSul.

Nenhum comentário:

Postar um comentário