sexta-feira, 19 de abril de 2013

Morre Alfredo Guevara, presidente do Festival de Cinema Latino-Americano de Havana

 
Alfredo Guevara, diretor do Festival Internacional do Novo Cinema Latino-Americano de Havana e glória da cultura nacional, morreu na manhã de sexta-feira, dia 19, em Havana, vítima de um ataque cardíaco, noticiou o sítio Cuba Debate.
 
Guevara, doutor em Filosofia e Letras pela Universidade de Havana, foi o criador e presidente fundador do Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográfica (Icaic), em março de 1959.
 
Dentre os vários prêmios que ele recebeu, estão a Ordem Félix Varela de Primeiro Grau, o mais alto reconhecimento da cultura cubana e, em março de 2009, recebeu das mãos do presidente Raul Castro a Ordem José Martí, a mais alta distinção do Estado cubano.
 
Alfredo Guevara participou ativamente em manifestações estudantis e da luta contra a ditadura de Batista. Na época, sofreu perseguição e acabou preso. Na década de 1950, cursou direção de teatro e foi um dos fundadores do Grupo de Teatro da Sociedade Cultural Nosso Tempo. Em 1955, ele participou, junto com o cineasta Júlio Garcia Espinosa e outros artistas em El Mégano, documentário considerado o precursor do Novo Cinema Cubano. Trabalhou como assistente de produção de Manuel Barbachano, que implementou os curta-metragens do Cine Verdad. Em 1958, ele foi assistente de direção de Luis Buñuel no filme Nazarín.
 
Com a criação do Ministério da Cultura em 1975, foi nomeado vice-ministro. Como presidente do Instituto Cubano de Arte e Indústria Cinematográficas, criou a Cinemateca de Cuba, o jornal ICAIC Latino-Americano, a revista Cine Cubano, o grupo experimental ICAIC Sonora, além de ser um dos principais promotores do movimento de arte cubano, que revolucionou o design dos cartazes dos filmes.
 
Alfredo, ao lado de outras grandes figuras, fundou o Novo Cinema Latino-Americano, foi organizador dos festivais, membro de honra da Comissão dos Cineastas Latino-Americanos e do Conselho Superior da Fundação do Novo Cinema Latino-americano.
 
Desde 1968, era consultor da Unesco para assuntos relacionados à política cultural. Ele era professor emérito do Instituto de Artes, que lhe concedeu o título de Doutor Honoris Causa em arte. Em 2008 ele recebeu o Prêmio da Latinidade, por sua contribuição para a cultura nacional e os seus esforços para promover o desenvolvimento e difusão de cinema da América Latina e Caribe.
 
Cuba Debate publicou uma entrevista realizada pelo escritor Amaury Pérez intitulada “Eu sou um profissional da esperança”. Hoje lembramos a nossos leitores como um sinal de luto e homenagem a seu extraordinário legado à cultura nacional.
 
Alfredo Guevara nasceu em 31 de dezembro de 1925 e, por vontade expressa, seu corpo será cremado.
 
Artigos de Alfredo Guevara em Cuba Debate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário