segunda-feira, 6 de maio de 2013

Ex-prisioneiros de Guantânamo fazem carta e pedem que todos sejam julgados segundo lei internacional

Autores do documento classificam atual greve de fome de dois terços dos presos como maior protesto em Guantânamo.
 
 
Vinte e cinco ex-prisioneiros de Guantânamo divulgaram uma carta aberta em que comentam a greve de fome realizada pela maioria dos detidos nessa penitenciária norte-americana. No texto, eles também pedem que todos os acusados sejam julgados de acordo com a legislação internacional, o que não é seguido em júris militares.
 
O documento lembra que nos quase 12 anos em que a prisão está aberta, sempre foram mantidos protestos, mas que o atual é o de maior magnitude.
 
“Desde a abertura, vários prisioneiros detidos em Guantânamo têm esporadicamente participado em greves de fome para protestar contra sua prisão arbitrária, o tratamento e as condições. Agora, no entanto, é a primeira vez que a esmagadora maioria dos presos está participando – e por um período tão longo”, argumentam os autores da carta.
 
Os ex-detentos também falaram que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, tem obrigação de acabar com esse cenário, conforme prometido em sua primeira campanha eleitoral.
 
A carta em inglês pode ser lida na íntegra aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário