sábado, 13 de julho de 2013

Medicamento cubano acaba com o horror do pé diabético



Beneficiados 100 mil pacientes do mundo com o Heberprot-P

IRIS DE ARMAS PADRINO

HAVANA.— Mais de 100 mil pacientes no mundo, inclusive cubanos, foram favorecidos com o Heberprot-P, medicamento desenvolvido pela biotecnologia da Ilha para as úlceras dos pés dos diabéticos, com resultados alentadores.
O doutor em Ciências Manuel Raíces, especialista do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia, instituição que, em parceria com o Instituto de Angiologia, desenvolveu o produto líder no mundo, explicou à AIN que o fármaco evitou a amputação, na maioria dos casos, com o qual oferece uma melhora na qualidade de vida.
Anunciou que no presente ano se prevê favorecer, aproximadamente, 60 mil doentes, com prioridade para os cubanos.
A responsável pelo programa Pé diabético, com o uso do Heberprot-P, na região ocidental, Amelia González, asseverou que desde 28 de março até 5 de abril terá lugar na capital o encerramento da oficina nacional Ecos do Congresso, do referido projeto, iniciado em 11 de março passado, em Guantánamo.
Dedicada a todos os médicos de família do país, a jornada científica tem como objetivo atualizar os profissionais acerca da aplicação do medicamento e os resultados principais do programa, tanto no âmbito nacional como internacional.
O Heberprot-P continua sendo um produto único de sua classe, em nível mundial, e constitui mais um avanço da biotecnologia cubana, ao serviço da humanidade.
Como parte da estratégia extensiva do programa nacional de atendimento integral ao paciente com pé diabético, com o uso desse fármaco, vêm sendo inauguradas consultas no escalão do atendimento primário de saúde.
"Ali, esses doentes poderão ser avaliados por uma equipe multidisciplinar de trabalho e serão injetados com o Heberprot-P, caso precisarem", apontou González. (AIN)



Retirado do GRANMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário