terça-feira, 1 de setembro de 2015

Um aplauso para Cuba no Dia Internacional da Solidariedade

Por: Lisandra Romeo Matos, serviço especial da AIN.




Ficaria difícil falar de Cuba sem mencionar sua vocação solidária e sua mão amiga, sempre disposta a se estender àqueles que precisam  de apoio frente a qualquer circunstância.
Cuba tem motivos de sobra para celebrar este 31 de agosto, o Dia Internacional da Solidariedade, data proclamada pela Organização das Nações Unidas com vistas a contribuir e promover este valor nas relações entre países, povos e pessoas.
Faz-se pois mister mencionar, sem chauvinismo nem falsa modéstia, a presença de Cuba nos cinco continentes, compartilhando o saber de que dispõe apesar das carências materiais e econômicas acumuladas durante várias décadas.
As inúmeras mostras de apoio recebidas desde o triunfo da Revolução, em Primeiro de Janeiro de 1959, indicam que cada vez mais nações defendem a causa dos cubanos.
Fundado em 30 de dezembro de 1960 por iniciativa do Comandante em Chefe Fidel Castro, o Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP) tem sido promotor e guia das ações solidárias com os demais países.
Alicia Corredera, vice-presidenta desta instituição, assevera que o movimento solidário com a nação caribenha concerne a quase duas mil organizações distribuídas em 153 nações.
Participam destes grupos pessoas pertencentes a setores populares e progressistas, interessadas não apenas em conhecer a realidade cubana, mas que assumiram como suas as diferentes batalhas encabeçadas por este povo durante mais de meio século.
Nos últimos anos, o amplo movimento de solidariedade com a Ilha teve como foco a libertação dos Cinco antiterroristas que ficaram encarcerados nos Estados Unidos por mais de 15 anos, reconhece a vice-presidenta do ICAP.
“Hoje, esse apoio assume nova dimensão, exigindo o fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelo governo estadunidense a Cuba há mais de cinco décadas, além de divulgar a verdade e as transformações positivas neste país, silenciadas pelos grandes meios de comunicação massiva”.
Segundo Alicia Corredera, outra vertente do trabalho desta organização consiste na realização de atividades com o Corpo Diplomático credenciado em Havana, com destaque para a celebração de dias significativos e efemérides dos territórios amigos.
 “Nosso vizinhos e amigos latino-americanos e caribenhos recebem um apoio especial do ICAP, pois estamos muito atentos às lutas de seus povos”, disse em alusão às recentres demonstrações de solidariedade com os governos da Venezuela e do Equador devo às tentativas de desestabilização protagonizadas pela direita.
Para a sociedade cubana, a solidariedade e o internacionalismo não se limitam a ações lideradas por uma instituição, mas são parte de todo um sistema de valores e se manifestam em setores vitais como a saúde, a educação, os esportes e a cultura.
Exemplos contundentes demonstram a vocação humanista de médicos, professores, engenheiros, desportistas e profissionais de outros setores, que partiram rumo a diferentes lugares para ajudar os mais necessitados.
A prova mais recente foi a colaboração de mais de 200 profissionais da saúde em países da África Ocidental para combater a perigosa epidemia de Ebola, sem mencionar a presença de médicos cubanos que cumprem missão em várias latitudes.
Há também aqueles que levam “a luz do saber” aos lugares mais remotos com o método cubano de alfabetização "Yo, Sí Puedo" traduzido em vários idiomas.
É por isso que neste 31 de agosto Cuba merece o aplauso do mundo por estar sempre atenta às necessidades dos outros povos, sem buscar compensação alguma além da satisfação de ter contribuído para o melhoramento humano.


Ler original em espanhol aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário